segunda-feira, 22 de agosto de 2011

entrevista com Rodrigo cavalcante do GURPS paz guerreira

Bom dia pessoal, hoje to trazendo aqui para vocês uma entrevista para informar vocês sobre o novo cenario Paz Guerreira que em breve será lançado no Brasil.


Javo: olá Rodrigo, primeiro quais rpgs você joga?

Rodrigo Cavalcante: Jogo RPG de Mesa, live-action, by forum, os sistemas são: GURPS, D&D, Star Wars D6, Legends of Five Rings, 7th Sea, Call of Cuthullu (Caosium), Biirth Right, Game of Thrones, e outros,  Live-action - Vampire

Javo: bem, de quem vaio a idéia para fazer o suplemento?

Rodrigo Cavalcante: Essa idéia veio do próprio autor do livro Paz Guerreira, Talal Husseini, num dia teve a idéia de lançar o cenário de Anthar para RPG

Rodrigo Cavalcante: como um de seus objetivos é levar a mensagem da paz guerreira para o maior número de pessoas, ele não queria deixar de fora seu principal alvo: jovens idealistas.

Javo: e vocês já eram conhecidos?

Rodrigo Cavalcante: eu conheci o Talal no fim do ano passado quando frequentei um de seus cursos na Escola de Negócios TH Prime.

Javo: o livro vai ser posto a venda depois de finalizado?

Rodrigo Cavalcante: sim, é um suplemento para GURPS e por exigência da própria SJ Games, ele tem que ser comercial
Javo: então o autor o contatou pedindo para você e outras pessoas fazerem o livro e depois ele falou com a devir? Ou foi direto na SJ?

Rodrigo Cavalcante: na verdade o autor, que é um empresário, vendo que o mercado de jogadores de RPG é composto por pessoas que tem um alto grau de inteligência, resolveu investir numa empresa para criar jogos para esse público e nos chamou para fundarmos a TH Games com esse objetivo, sendo o primeiro produto o GURPS Paz Guerreira, que era pra ser um RPG, depois de conversarmos muito, chegamos a conclusão que para atender à mecânica do cenário, o sistema GURPS era o mais adequado, então entramos em contato com a SJ Games que nos direcionou a editora Devir

Javo: e dai foi tudo combinado?

 Rodrigo Cavalcante: isso, ainda estamos finalizando alguns detalhes sobre a licença

Javo: de quem veio à idéia de distribuir no evento?

Rodrigo Cavalcante: nos gostaríamos de ter o livro pronto para o World RPG Fest, porém para atingirmos a qualidade que o público merece, não seria possível desenvolver o produto em 3 meses.    Então numa conversa que tive o Douglas da Devir, chegamos juntos á conclusão que poderíamos pedir a opinião dos futuros consumidores sobre o que deve haver num cenário de RPG para que eles se disponham a comprá-lo e se divertir. Então, decidimos que lançaríamos um livro-projeto (que após conversarmos com vários jogadores já está obsoleto) para que as pessoas fossem apresentadas ao cenário e tivessem o "feeling" do que os espera

Javo: e as pessoas deram suas opiniões?

Rodrigo Cavalcante: as pessoas estão opinando muito mais através do meu e-mail do que através do Fórum, não sei se não sentem confiança em relação as suas idéias

Javo: e o livro já tem previsão de  quando mais ou menos ele ficará pronto?

Rodrigo Cavalcante: Sim, acredito também que agora estão conhecendo a ficção de fantasia "Paz Guerreira" e ainda estão se familiarizando com a obra e com o cenário.

Javo: e o lançamento deve ser quando

Rodrigo Cavalcante: estamos prevendo para a primeira quinzena de novembro

Javo: e o livro deve ter quantas paginas mais ou menos ?

Rodrigo Cavalcante: acreditávamos que cerca de cem, após as revisões e complementações nos textos deve ficar com algo em torno de 230 páginas ou talvez mais

Javo: vão haver novas magias no livro ?

Rodrigo Cavalcante: além da escola de magias dos Sonhos (Que já está no fórum), estamos preparando algumas surpresas

Javo: vão ter estáticas de novos monstros?  E Npcs?

Rodrigo Cavalcante: sim, todas as criaturas apresentadas virão com suas estatísticas e também virão os Npcs, porém como são personagens épicos virão com uma pontuação elevada

Javo: haverá alguma aventura com no livro?

Rodrigo Cavalcante: estamos ainda discutindo isso, porém se vier será uma para se jogar utilizando se do estilo de aventura "filosófico" que um dos grandes diferenciais do cenário

Javo: e idéias para aventuras?

Rodrigo Cavalcante: essas já estão no livro-projeto na forma de linhas de aventuras, porém queremos adicionais idéias mais práticas e pontuais no formato: introdução - desafio - recompensa

Javo: foi difícil a negociação para a produção do livro com a devir ou com a SJ ?

Rodrigo Cavalcante: as duas empresas foram bem receptivas e claras com relação à qualidade que um produto deve ter para sair com o selo SJ Games

Javo: e depois desse livro, talvez tenham outros?

Rodrigo Cavalcante: já temos algumas idéias para próximos lançamentos.

Javo: serão para o cenário?

Rodrigo Cavalcante: temos tanto idéias para o cenário como para outras coisas
 Javo: vão ter mapas mais detalhados das cidades ?

 Rodrigo Cavalcante: por enquanto não, talvez em suplementos individuais de cada cidade...

Javo: e imagens das novas armas?

Rodrigo Cavalcante: as que faltaram nas descrições sim

Javo: e as virtudes e triunfos serão vantagens e desvantagens?

Rodrigo Cavalcante: sim, apesar de estarmos estudando uma maneira alternativa onde o mestre define um "pool" de pontos específico para as virtudes e triunfos

Javo: Por que GURPS foi o sistema escolhido?

Rodrigo Cavalcante: Por que o GURPS nos permitiu trabalhar as virtudes e os triunfos de maneira mais objetiva na construção do personagem.    Numa campanha de GURPS, o mestre tem ferramentas para trabalhar as virtudes e triunfos através de pontos, de maneira mais direta e que permite mensurar o poder de determinado personagem.    Outro motivo fundamental é que devido a grande riqueza de culturas do cenário, a possibilidade dos mais variados tipos de personagens jogáveis se apresenta.    Assim percebemos que um sistema aberto permite com que tanto o jogador que goste de jogar com um personagem, digamos, mais tradicional, como o jogador que goste de um personagem mais exótico como um comerciante ou político encontre diversão e papéis principais numa aventura de Paz Guerreira

Javo:  Quais as maiores dificuldades enfrentadas no processo todo? Como as superou?

Rodrigo Cavalcante:  Na verdade as maiores dificuldades são em trazer ao GURPS Paz Guerreira a qualidade e a fidelidade a obra de ficção.
   Os elementos filosóficos e de autoconhecimento que é o objetivo a se atingir na interpretação dos personagens é a parte mais trabalhosa para se transcrever para o RPG, bem como criar algo divertido e interessante
    Ainda estamos superando estas dificuldades, talvez somente após a versão final for publicada e as pessoas terem jogado é que saberemos o que ainda haverá para superar

Javo: O que Paz Guerreira traz de novo?

Rodrigo Cavalcante: o fato de você ter que realmente interpretar para ter os maiores benefícios do jogo que são provenientes das virtudes.   É um jogo onde você não só terá que conhecer o personagem a fundo, bem com interpretá-lo

Javo: então o jogo se aprofundará na interpretação?

Rodrigo Cavalcante: ele exigirá isso para que o personagem possa possuir determinada virtude

Javo: serão como um tipo de poder especial, só que vem como vantagens?

Rodrigo Cavalcante: na verdade, é assim: a partir do momento que você interpreta e conquista uma virtude você passa a ter seus benefícios

Javo: O que você acha que mais vai atrair os jogadores?

Rodrigo Cavalcante: Acredito que a possibilidade de interpretar um personagem de uma grande civilização que já existiu, interagindo com personagens de outras civilizações.   No nosso mundo elas existiram em épocas diferentes.    Também acho que vai atrair os jogadores a possibilidade de viverem aventuras num cenário escrito por brasileiros, baseado numa obra de ficção literária de um escritor brasileiro.

Javo: o que vocês pretendem fazer com o cenário ?

Rodrigo Cavalcante: lançar o cenário ainda este ano no mercado Nacional, depois, conforme o público for jogando e conhecendo mais o cenário, detalhá-lo mais através de livros com temas específicos do cenário

javo: Há planos de lançar versão em Inglês, "GURPS Peace Warrior", tanto do Romance  quanto do RPG?

Rodrigo Cavalcante: na verdade se chamará "GURPS Fighting Peace” e sim uma vez que o romance atinja determinado sucesso fora do Brasil, lançaremos o suplemento em inglês e espanhol

Javo: O que os jogadores de GURPS podem esperar dos livros em termos de regras?
Rodrigo Cavalcante: Fidelidade às propostas do GURPS, o material é para ser usado com as regras específicas do GURPS Módulo Básico, nós só criamos as necessárias para uso de elementos específicos do cenário Paz Guerreira

Javo: Haverá modelos de personagens para as várias facções do cenário?

Rodrigo Cavalcante: pelo menos um modelo para cada cidade-estado e para os povos que vivem fora de cidades

Javo: os modelos serão mais fechados como os modelos de Dungeon
Fantasy / Action / Monster Hunters ou mais abertos como os modelos dos
mini-Gurps Nacionais?

Rodrigo Cavalcante: não, seguirá o modelo dos suplementos de GURPS

Javo: Qual é o nível de poder dos aventureiros do cenário, de quantos pontos  serão os personagens iniciais típicos de uma campanha do cenário?

Rodrigo Cavalcante: depende do que o Mestre do jogo propuser.   Para heróis, os modelos que sugerimos é de 150 pontos, porém nada impede que sejam criados com mais ou menos pontos, isso não comprometerá a diversão.   Novamente, depende da proposta de jogo.

Javo: Vocês planejam que tipo livros para continuar o cenário?  Coisas genéricas como bestiário / equipamentos ou mais específicas como  suplementos para cada uma das cidades?  Aventuras prontas?

Rodrigo Cavalcante: os equipamentos, com raras exceções são amplamente cobertos pelos suplementos de GURPS já existentes, focaremos mais especificamente nas cidades-estados e aventuras prontas

javo: O cenário de Fantasia Medieval construído com elementos do mundo real  já não é suficientemente explorado pelo mundo de Yrth?  O que Paz Guerreira traz de novo?

Rodrigo Cavalcante: O principal elemento é a co-existência das maiores civilizações que já existiram no mundo em seu ápice.    E a visão da sabedoria que permitiu cada uma dessas civilizações atingirem um nível de maturidade cívica, a forma de enxergar o papel do homem e o caminho que este tem que seguir é bem diferente do que já se viu por aí

Javo: o que proíbe os jogadores de comprar os melhores equipamentos de cada reino, ao invés de especializar em um, como comprar armas de pólvora em um e uma armadura em outro

Rodrigo Cavalcante: na verdade o bom senso.   Cada cultura tem orgulho de suas armas e estilos de combate e é difícil alguém que viaje para outra cidade e consiga comprar armas e armaduras em grande quantidade para revender em outro lugar e os personagens não sabem a diferença de dano entre uma arma em outra (eles não têm acesso às tabelas)

Javo: o livro oferece alguma penalidade por sair usando equipamentos de outro reino, ou equipamentos misturados?

Rodrigo Cavalcante: de jeito nenhum, se o personagem é alguém que viajou muito ou por algum motivo teve acesso a equipamentos misturados, não tem porque ter penalidade

Javo: e você tem alguma idéia para um projeto mais seu?   Sem ser uma adaptação como o GURPS paz guerreira?

 Rodrigo Cavalcante: por enquanto estamos estudando algumas possibilidades, mas nada concreto ainda para que eu possa anunciar

Javo: tem algo a falar antes de terminar a entrevista?

Rodrigo Cavalcante: leiam o Romance!  Paz Guerreira em quatro meses se tornou um best-seller, vale a pena. Tenho certeza que muitos vão querer jogar depois de ler.

Bem está ai pessoal, e eu aproveito para agradecer ao leonardo 13 e ao pessoal da iniciativa GURPS por me darem varias perguntas.

Livro Paz Guerreira
Devir livraria

copre o livro aqui ou aqui

obs. essa é 100 postagem !!!!
obs2. o blog acabou de completar 23000 visitas !!!!!!!!

3 comentários:

  1. Queria saber se este livro vai ser publicado mesmo, pois aguardo ansiosamente, pois o livro paz guerreira é muito bom

    ResponderExcluir
  2. Vai nada ... isso aí morreu na casca ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o projeto nunca ocorreu pelo jeito

      Excluir