segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Revelação: O significado de FNORD

Todos aqueles que já leram o subversivo GURPS illuminati se depararam irremediavelmente com a mesma incógnita: O que significaria essa misteriosa palavra? Ou seria algum tipo de abreviação? Ela é citada em inúmeras páginas do suplemento sempre remetendo algo que não nos poderia ser revelado. Na página 123 do livro isso é evidenciado com a reta pergunta que existe no lado inferior direito: “E, Afinal de Contas, O QUE É FNORD?”, e em seguida: “Sinto muito, mas você não tem autorização para receber esta informação”. Esta é no mínimo uma resposta frustrante para nossas mentes rpgísticas. Como podem excluir um jogador de RPG deste segredo? É injusto. Partimos então a fazer justiça com as próprias mãos, utilizando várias formas, especialmente as mais bizarras. Lemos frases de trás para frente, de cabeça para baixo, na diagonal, derretemos a maldita vela dizendo “ugna see yuv c´thulhul” sobre sua capa, usamos lentes de aumento para ver palavras pequenas, procuramos mensagens subliminares, associamos combinações matemáticas, verificamos possibilidades criptográficas, analisamos a teoria dos jogos, tentamos a sorte, rezamos, questionamos a teoria da relatividade... Tudo para tentar descobrir o que “mil diabos” significa “fnord”, pois sabemos que todas as verdades e mentiras, todos os mistérios não revelados, profecias e segredos estão contidos em uma única palavra, “fnord”, e por isso não cansamos de procurar desvendá-la, certos de que junto com isso descobriríamos o segredo do mundo, ou até do Universo.

Tentativas a parte, é conhecido que a mística dessa palavra não se deve a Nigel D. Findley (autor de GURPS illuminati), nem aos próprios illuminati, e também não apareceu primeiramente em qualquer criação da Steve Jackson Games. Seus primeiros indícios são vistos em 1965, publicados nos documentos sagrados do discordianismo, os Principia Discordia, embora não seja explicada a razão de suas aparições. Em 1975 é que a palavra se torna popular, principalmente entre estadunidenses, com a publicação do livro “Illuminatus Trilogy” (este livro é citado na bibliografia do GURPS illuminati, página 126), escrito por Robert Shea e Robert Anton Wilson e sem tradução para o português. Neste livro a apologia que se faz a palavra é substancialmente conspiracional, como vemos a seguir:

... a interjeição "fnord" tem um poder hipnótico sobre os desesclarecidos. Os Illuminati programam crianças, quando ainda no jardim de infância, para serem incapazes de ver conscientemente a palavra "fnord". Pelo resto de suas vidas, cada aparição da palava gera subconscientemente um sentimento de dificuldade e confusão e previne uma consideração racional do assunto.
Na obra de Shea/Wilson, fnords são espalhados liberalmente nos textos de jornais e revistas, causando medo e ansiedade sobre os eventos da atualidade. Entretanto, não existem fnords nas propagandas, encorajando uma sociedade consumista.

Está implícito nos livros que fnord não é de fato a palavra real usada para essa tarefa, mas uma mera substituta, pois muitos leitores seriam incapazes de ver a palavra verdadeira.

Ver fnords significa estar inafetado pelo tal poder hipnótico da palavra ou, mais abertamente, de outras palavras conflitantes.

(Obtido em http://pt.wikipedia.org/wiki/Fnord).


Não é preciso dizer que a influência gerada nesta obra foi crucial para o aparecimento de tantos “fnords” na publicação original do livro GURPS illuminati, e consequentemente também em nossa edição brasileira. Uma curiosidade que deve ser mencionada, entretanto, é que ao contrário da edição original, no Brasil, as capas vieram todas com inscrições semi-visíveis de frases conspiratórias. Pessoalmente, para descobrir o significado da mágica palavra, empenhei árduo trabalho tentando ler todas as frases contidas na capa, que começa (de cima para baixo e da esquerda para a direita) com uma declaração: 

Não desejamos ofendê-lo a menos que você seja uma pessoa insignificante. Depois: Se você não for bem sucedido da primeira vez, mude as regras./ Anarquia – não é a regra, é só um boa idéia./ O ilegal nós fazemos imediatamente, o inconstitucional demora um pouco mais./ Não é uma questão de principio, e sim de dinheiro./ Coma os ricos. As próximas duas frases eu não consegui ver, segue-se. FNORD./ O fato de tudo ser diferente não significa que tudo mudou./ A sinceridade é a chave da questão. Depois que você consegue falsificá-la, todas as portas serão abertas. A frase que segue é outra que eu não consegui ver. Se não mudarmos nossa tendência é bem provável que acabemos chegando ao nosso destino./ O poder corrompe. O poder absoluto até que é gostoso./ Faça sempre a coisa certa. Você vai agradar muita gente e deixar o resto assombrado./ Descobrirás a verdade e ela vai deixá-lo-á desvairado./ A decadência é a recompensa pela decadência./ Político honesto é aquele continua subornado./ Organize-se para a anarquia!/ Definição circular: V. “Definição circular”./ Socorro, os paranóicos estão querendo me pegar!/ Segundo os últimos resultados oficiais, 43% das estatísticas são completamente inúteis./ Eu não estou vendo você, por isso não adianta você fingir que está aí./ Diga a verdade e fuja./ Quem hesita, chega por último./ FNORD./ Um homem prudente sabe tudo, um astuto conhece todo mundo./ As vitórias morais não tem a menor importância./ Todas férias e feriados criam problemas, para aqueles que ficam./ Sorria, os illuminati estão te observando./ Tudo que existe é controlado por um pequeno grupo - ( Não consegui identificar) -, infelizmente, não pertence ninguém que nós conhecemos./ Todos os silogismos têm três partes, portanto, isto não é um silogismo./ Terei que colocar alguma coisa na comida deles para que eles esqueçam que eu fiz isso./ Nós enganamos os outros e lhe entregamos as economias./ Não roube. O governo detesta concorrência./ Depois que a gente desiste da integridade, o resto fica fácil./ Um Smith Wesson vale mais do que uma quadra de ases./ Eu não sofro de insanidade, eu me divirto com ela./ Seja sempre mais esperto do que as pessoas que te contratam, mas nuca deixe que eles percebam./ A pior coisa com relação a censura é XXXXXXXXXXXXXXXXX./ Não diga nenhuma grande mentira hoje. As pequenas podem ter a mesma eficiência./ Sorria, isto faz com que eles fiquem se perguntando o que é que você está tramando./ Para cada ação existe um programa governamental igual e contrário./ Um mentor é uma pessoa que acha que sabe mais do que você deveria saber./ Se nós soubéssemos o que estamos fazendo, não seria pesquisa./ Quanto menos é importante um político maior é seu amor pela bandeira./ A velhice e a deslealdade sempre enganarão a juventude e a polícia./ Fazer previsões é difícil, principalmente sobre o futuro./ Você tem certeza ? [N] S./ O que aconteceria se esta não fosse uma pergunta hipotética ?/ Todas as generalizações são incorretas, inclusive esta./ Junte-se aos illuminati e veja o mundo ... de outro modo./ Amigos vão, amigos vêm, mas os inimigos estão sempre por aí./ FNORD./ Cuidado com as coisas superficialmente profundas./ A verdade é mais estranha do que a ficção porquê a ficção tem que ter alguma lógica./ Toda lei é uma vingança sistematizada./ Você sabia que a palavra “crédulo” não existe no dicionário ? Olhe e veja você próprio./ Salve Eris! Saudamos a discórdia!/ Se vencer não é o que importa, por que contar os pontos ?/ A objetividade é o olho do observador./ Destrua o estado e tenha um bom dia./ Esqueça todas as esperanças ó você que aperta a tecla ENTER./ Nenhuma boa ação fica impune./ Pensar é bom, os slogans são ruins. Pensar é bom, os slogans são ruins./ Tenho que fugir, o governo está falindo./ Amigo é aquela pessoa a quem você pede ajuda para se esconder./ Amigo de verdade é aquela pessoa a quem você pede ajuda para esconder um corpo./ A derrota é pior que a morte porque a gente tem que viver com ela./ Evite a confusão./ Alguém em quem você confia é um de nós.../ Isto é um teste. Isto é apenas um teste. Se fosse realmente uma emergência, vocês já estariam todos mortos a esta altura.

Pronto. Exceto três frases e o pedaço de outra eu não visualizei. Ironicamente, tenho quase certeza de que estas sejam as quatro frases mais importantes, a ser exemplo a frase que diz: “ Tudo que existe é controlado por um pequeno grupo... infelizmente, não pertence ninguém que nós conhecemos”. Veja bem, “tudo que existe”, é tudo que existe. E infelizmente (por que infelizmente?), não pertence ninguém que nós conhecemos. Deixemos isto de lado um pouco e continuemos no ramo das curiosidades. Você sabia que existe o site “ www.fnord.com.br” ? E que a palavra pode ser encontrada 7.530.235 vezes, em cerca de 57.840 páginas da Web. Voltemos ao significado da palavra.

Conforme se mostra no romance Shea/Wilson, a chave para a iluminação estaria não no fato de descobrir o que diretamente é “fnord”, visto que esta não significa diretamente outra palavra qualquer, mas sim se desalienar de seu poder hipnótico, ser capaz de entender seu princípio “fnordiano”. Não restam dúvidas de que os iluminados (Illuminatis) são aqueles que já têm esse conhecimento, e por isso chamam-se de iluminados, diferentes de todo o resto. Mas como ser capaz de encontrar esta resposta? Eu quase soube, foi por pouco mesmo, mas isso eu conto depois. A verdade é que muitos, ( pelo menos aqueles que leram o GURPS illuminati) já fizeram essa pergunta, e outros tantos igualmente tentaram obter uma resposta. Um caso estranho disso, entretanto, aconteceu em Chesterfield (EUA), em 1999, quando uma adolescente simplesmente não voltou da escola e nunca mais foi vista. A notícia teve repercussão local e uma investigação foi feita (Chesterfield Police Department) para tentar solucionar a questão. Num relatório feito pelos pais da adolescente, sua mãe disse que ela passava muitas horas na internet nos dias que antecederam seu desaparecimento. A polícia desconfiou de que pudesse ter ocorrido algum crime via internet e examinou seu computador. Surpresa para todos quando se verificou que todos os últimos acessos apontavam buscas para a palavra “fnord”. Além disso, nada foi encontrado, e a adolescente até hoje também não. Se realmente existiu alguma conexão entre o desaparecimento e a busca da palavra, isso ninguém foi capaz de provar. Talvez ela tenha entendido seu significado, não se sabe. Eu também achei que encontraria. Destarte, o que não se pode negar é que essa palavra exerce tremendo fascínio sobre aqueles que a vêem, mais do que isso, como é dito no romance “Illuminatus Trilogy”, tem poder hipnótico, tal qual aquele olho na pirâmide, sempre nos vigiando. Afinal, nós “que apertamos a tecla ENTER”, somos as pedras da pirâmide, cegos e imóveis a tudo. A minoria que representa o topo da pirâmide são os únicos capazes de enxergar.

Por um motivo eu também pensei que poderia enxergar tudo certa vez, inclusive a palavra “fnord”. Estava andando pela calçada em direção até em casa, um dia depois de ter transcrito quase todas as frases da capa da edição brasileira de GURPS illuminati, quando vi aos meus pés, quase pisando em cima, um envelope preto. Eu não sou dado a ficar pegando papéis e “porcarias” do chão, mas aquele era um envelope incomum, e não contive a tentação. Dentro dele havia uma cartinha com letras douradas escritas. Faço uma pausa agora na narrativa para avisar a todos aqueles que estiverem lendo este texto de que isto realmente aconteceu comigo, eu não escreveria tamanha mentira por diversão, eu apenas quero relatar a todos que (Meu Deus), isto aconteceu comigo de verdade! Aqueles que não acreditarem mesmo assim, podem sem problema nenhum tomar suas próprias conclusões. No papel estava escrito: “ A resposta para fnord, fnord geladeira fnord 123.”. Isso não poderia estar acontecendo, eu larguei o papel no chão e imediatamente me dirigi até em casa, um pavor começou a tomar conta de mim, mas mesmo assim tive coragem de abrir a porta. Passei a sala, o coração pulsando com medo de que a qualquer momento algum “homem de preto”, alienígena, extraplanar, poderia saltar sobre mim. Entrei na cozinha, dei de cara com a geladeira. Ponto crucial, o tempo pára. Não se sabe oque fazer. Não se raciocina direito. Depois de interminável hesitação, abro a geladeira. Um livro..., meu livro, o GURPS illuminati. Lembro de um número, acho que era 12..., estava tão nervoso que deixara o papel cair no chão, mas eu acho que era o número 12..., vamos, um jogador de RPG tem boa memória. Isso! Número 123. Lá estaria a grande resposta. Percorro as páginas, o que estaria por ser revelado? O mundo mesmo era mais estranho do que eu imaginava? Página 123. Um pequeno sublinhamento havia sido feito com uma tinta dourada em uma série de palavras que se encontram no lado inferior direito da página:


“E, Afinal de Contas, O QUE É FNORD ?”; “Sinto muito, mas você não tem autorização para receber esta informação.”


Autor: Leopoldo Schaefer Ost.
e-mail: Thomas.archer@bol.com.br

2 comentários:

  1. Putz cara ótimo texto, muito divertido de ler.
    Curti o blog.

    ResponderExcluir